DICAS DE NARGUILES: CUIDADOS COM ROSH E ESSÊNCIAS

Saiba o que fazer com seu rosh e com as essências para aproveitar o máximo possível da sua sessão de narguile!!

Neste post, vamos falar um pouco sobre os cuidados com rosh, o que fazer e o que não fazer na hora de preparar sua sessão.

Basicamente, para uma sessão, precisamos do narguile, de um rosh, o vaso, essênCicas, carvões  e alumínio (ou controlador de calor). Então fazemos o rosh com as essências e alumínio, acendemos o carvão e iniciamos o procedimento de controle de calor.

Sabemos como a falta de informação ou de acessórios apropriados podem influenciar sua sessão de narguile de maneira negativa. Por isso, compilamos algumas dicas de narguile que te farão aproveitar melhor e se tornar um pouco menos prejudicial hehe.

Vamos lá!

O maior erro, e talvez o mais prejudicial, quando o assunto é rosh, é tentar colar o mesmo quando quebra. Muitos, em vez de buscar um novo, quando quebram o rosh colam com algum tipo de cola, porém quando aquecidas, liberam substancias altamente nocivas ao nosso organismo. Portanto, não invente de tentar colar um rosh ao quebrar, o barato sempre sai caro. Veja aqui mais uma opinião sobre esse assunto.

Furação de rosh, controle de calor, double set: Saibda tudo sobre esses assuntos

Outro fator que influencia muito na sessão é o controle de calor, isso que decidirá o tempo da sua sessão e a intensidade do sabor. É sempre muito importante “rotacionar” os carvões durante a sessão, evitando assim que uma área receba mais calor do que a outra, queimando parte do fumo  e interferindo negativamente na duração e sabor. Fizemos um post sobre esse assunto, clique aqui.

Combinado com o controle de calor, mas não menos importantes, estão a furação, o tipo do rosh que você utilizará (raso ou fundo) e o tipo de tabaco do fumo que você fumará, já que alguns são mais resistentes ao calor, outros mais sensíveis, veja este post sobre os tipos de tabaco de narguile.

Quando utilizamos um rosh raso, significa que o fumo terá uma maior área em contato com o carvão, ou seja, exposto diretamente à fonte de calor. Neste caso, quando não tomamos os devidos cuidados, o fumo queimará muito mais rápido, diminuindo o tempo da sessão.

Já com um rosh mais fundo, o calor não pode ser muito concentrado porque grande parte do fumo não esta em contato direto com o carvão, ou seja, caso o calor seja muito intenso queimará a parte de cima do fumo, e deixará a parte de baixo intacta, desperdiçando grande parte da sessão.

Outro ponto muito importante é: jamais reutilizar a mesma essência já utilizada na outra sessão e sempre evitar o “double set” de carvão, ou seja, essência e carvão para duas sessões em uma só. Seria algo como um overpack de no rosh e 6 carvões, por exemplo. Se for se aventurar nessa, utilize fumos com um tabaco forte como castros, tangiers, desvall e azure. Além disso, atente-se para a furação do rosh. como explicamos no post Como furar o rosh sem furador.

Como falado anteriormente, existem fumos com o tabaco mais sensível e outros mais resistentes ao calor, por isso, na hora de fazer um mix de essências, é importante sempre lembrar de combinar fumos com um tabaco parecido, para que um não queime antes do outro e faça com que a sessão perca o gosto ou fique com o famoso gosto de carvão.

Para fazer a limpeza do rosh, basta deixa-lo de molho por alguns minutos em agua quente para que ele amoleça e então esfregar com uma esponja para que a crosta de fumo queimado saia facilmente e você possa sempre manter os devidos cuidados com o rosh.

Esperamos que este post seja útil e que aproveite para melhores sessões! Caso queira saber mais sobre o mundo do narguile, acompanhe nossos posts semanais e INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER.

Agora se quer saber como abastecer suas sessões de narguile sem sair de casa, clique aqui.

Comentários
Produtos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*